Mind Storm

Ultimamente eu não estou conseguindo alinhar direito meus pensamentos, de forma tal que eu tenho uma desculpa bem esfarrapada para a completa e total falta de coerência neste post. Mas o caro leitor(a) não deve se importar muito com isso, de forma tal que vou começar por um filme que assisti semana passada, Amadeus.
O filme é muito interessante, mas desconfio de que seja necessário uma certa cultura musical para apreciar o filme. Eu, como bom pseudo intelectual, precisava assistir esse filme faz bastante tempo. (Diálogo exemplo: "Ah, você gosta de música clássica?", "Sim, eu gosto. particularmente de peças para piano.", "Já viu 'aquele' filme sobre mozart?" (ponto importante, tenho um amigo que pronuncia mozÁrt), "não...", )
Durante o filme, Salieri culpa Deus por não ter o dom de compor, somente a capacidade de reconhecer uma obra de valor. Eu me coloquei no lugar de Salieri e... Deus não me deu nem o dom de apreciar boa música, por que eu reclamaria de algo?

Eis que alguém me interrompe: "Peão quatro dama." Putz, odeio jogo de dama. É fechado, obscuro, indireto. Todo e qualquer movimento decisivo tem que ser minunciosamente preparado com antecedência, de forma que muitos lances são 'desperdiçados' arrumando o cenário para que o tão esperado ataque decisivo tenha sucesso, e no meio de tantos lances preparatórios, os objetivos vão se escondendo entre as jogadas até que eu nem sei mais qual que era o meu plano inicial. Normalmente, eu sacrifico e abro logo o jogo. Não aguento a tensão fora do tabuleiro. Eu saio com uma desvantagem (que às vezes pode ser recuperada), mas pelo menos o resultado do jogo sai logo, não fico ansioso, e não tenho muitas expectativas frustradas. Mas não dessa vez. Dessa vez eu decidi lutar maximizando minhas possibilidades. Vou entrar no seu jogo de rainhas. "Peão quatro dama."

A trilha sonora de Amadeus é muito boa. Eu não gostava muito de ópera, mas gostei bastante dos trechos inseridos no filme. Eu também gostei da trilha de Donnie Darko, mas esse filme tem sérios problemas, digo, ele não foi feito para pessoas com saúde mental. Tem muitas coisas no filme que são tão erradas, que eu gostei. Isso inclui a trilha sonora. Nessa minha semana de folga, eu percebi qual o meu gosto para filmes: (e por conseqüência, histórias.) Eu só preciso de alguma coisa que me dê atenção. Não, eu não quis dizer me chame a atenção, eu realmente quis dizer me dê atenção. Algum detalhe que me faça pensar de maneira abstrata que eu faço parte do público alvo do filme. Um personagem que tenha alguma característica que eu goste, uma música das minhas favoritas na trilha sonora... Isso parecia bem menos "eu estou carente, favor me dê atenção!" antes de eu digitar, mas não ligo. Afinal se você leu isso até aqui e percebeu isso, existe um você! e você já me deu a atenção para a qual esse texto foi criado.

Mas nada disso importa. O que realmente importa é que existe um alguém 'bem perto' de você cujo sorriso faz valer um dia. Mesmo um dia em que você trabalha o dia inteiro, e sabe que vai perder muitas horas de sono pra mais trabalho. Sim, eu sei que isso não é uma verdade universal... Mas um homem pode sonhar, não pode?

Um comentário:

Lilavati disse...

"Todo e qualquer movimento decisivo tem que ser minunciosamente preparado "...

E o jogo de damas que é obscuro?