Old-Fashion

Sinceramente, não consegui decidir o que é mais metrossexual: Old-Fashion ou Old-School. Acabei optando pelo primeiro porque... até hoje não escrevi nada de bom que contivesse Fashion no título. Hora de começar o post de verdade.
Eu sempre me considerei um cara retrógrado, conservador ou antiquado. Não sei exatamente qual deles, mas eu sei que listando assim tudo junto dá pra pegar a idéia. Vamos aos exemplos: (é bem mais fácil esperar que o leitor deduza dos exemplos do que de fato pensar em como descrever a situação.) Eu gosto de lápis de madeira, daqueles que você tem que usar o apontador para deixar a ponta afiada. Hoje em dia todo mundo usa lapiseira. Bom, pensando bem, eu estou aqui escrevendo no blog através do meu computador, então eu não sou exatamente antiquado. Corta essa palavra. Pensando melhor, esse parágrafo inteiro foi completamente inútil. Mas será guardado aqui para manter registro do caminho que meu pensamento percorrre, e também para disfarçar um pouco o que vem a seguir.
Hoje eu só quero dizer uma coisa, e não tenho envelope para embrulhar isso. Eu acredito no amor à moda antiga. Aquele amor Old-School em que um entende o outro e isso dura para sempre. Sabe, todo aquele romantismo dos filmes antigos, em que tudo dá certo mesmo sem as pessoas serem perfeitas. Aquele pensamento otimista de que existe alguém para você bem aí do seu lado. Esse tipo de coisa.
Não sei se foi por azar, mas nos últimos filmes que assisti o romance dos personagens principais não dava certo, inexistia ou dependia de alguma coisa bizarra pra dar certo. como voltar no tempo, morrer ou ser preso. O que será que os grandes diretores de Hollywood querem com isso? eu espero que não seja algum plano para aumentar substancialmente o mercado de anti-depressivos.
Mas antes que o leitor sinta pena de mim, já encontrei minha musa inspiradora que vai me tornar um artista com meu amor platônico. Como eu queria dizer no início do tópico antes de começar a me perguntar o que era mesmo que eu ia dizer, eu tenho alguns pensamentos Old-School, e um deles é que não vale a pena viver sem alguém para amar. Resta saber se eu vou fazer meu lance e descobrir o que há dentro da caixa, ou se vou esperar o tempo acabar aproveitando esse sentimento renovador.

Um comentário:

Lilavati disse...

Se posso vir aqui com achismos...
acho que esperar cansa.